Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.9/5 (76 votos)




ONLINE
3





Partilhe este Site...







Total de visitas: 679880
Igreja e Família
Igreja e Família

Caros e amados irmãos e irmãs.

Vamos estudar um pouco do contexto, igreja e família ou ainda família e igreja, pois igreja sem família não é igreja no contexto de vida pratica.

Vamos começar recordando que o próprio Deus criou, ou melhor, antes de criar, desejou a família (Gn 2:18 a 24) e assim estava criado a primeira família, com o propósito de se multiplicar e logo vemos isso ocorrendo.

Foi assim que vemos Caim e Abel(GN 4:3,4) oferecendo a Deus sacrifício e em qual congregação ou templo aprenderam isso, em nenhum, pois foi na casa de seus pais, e veja aqui, o contexto de casa é mais uma vez família.

Recordemos de Enós, pois foi através de seu nascimento que começou a se invocar o nome do Senhor(GN 4:26), foi assim na casa de Sete, filho de Adão.

Ainda temos muitos exemplos, como Abraão(GN 17:9), pois todos que estavam sob seu comando ou domínio, eram considerados sua família, assim também Josué(JS 24:15), quando diz a famosa frase conhecida da maioria " Porém, eu e minha casa, serviremos ao Senhor", o que ele estava dizendo era: "eu e minha família", casa aqui tem a representatividade de família. Eles estavam dispostos a andar o caminho de Deus, ainda que fossem sozinhos, ou melhor somente sua família, e outros exemplos se verão, se começarmos a procurar.

Um outro fato interessante é que o salmista no Salmo 133, usa o termo "casa do Senhor" e o termo "irmãos vivam em união", mais uma vez uma expressão concreta de família, pois casa e irmãos está relacionado a família, não apenas uma construção fria e sem vida. Espero que você consiga começar a compreender o que quero mostrar, pois uma igreja que não é família, não pode ser a obra de Deus.

Podemos olhar exemplos catastróficos, como o do profeta Oséias, e veremos uma vez mais a figura da família sendo usada, nesse caso aqui para mostrar a indiferença e prostituição de Israel diante de Deus, e manifestar o amor de Deus pelo seu povo.

Mas agora vamos nos deparar um pouco com termos usados pelo Senhor Jesus, "Pai", "Filho", "Irmão", "Casa".

Comecemos com "Pai", o Senhor Jesus se refere a Deus como "Pai", e isso remete sempre ao amor famíliar, proteção, cuidado, vejamos o texto de(Mt 11:27), era comum para o Senhor Jesus a expressão “Pai”, mostrando muitas vezes uma relação familiar com o Pai, também vemos isso em relação a “Filho”, nesse mesmo texto vemos a abordagem “Filho” correlacionada com uma atitude familiar, e mais em Jo 20:17, vemos essa correlação ir até “irmãos”, sendo assim, o próprio Senhor Jesus, tinha essa relação familiar com o Pai e com os discípulos.

Ainda em outras passagens vemos o Senhor Jesus em algumas parábolas colocando novamente essa relação familiar, vejamos o texto de Lc 15: 11 a 31 e vamos perceber que a família esta em direta relação com essa parábola, pois para o “Pai”, o que importa é os “filhos”, e não estou querendo mudar o contexto da parábola, quero apenas que você atente que o exemplo aqui usado correlaciona à família.

Temos ainda muitos outros exemplos, mas quero falar em relação a Jesus de mais um, que esta em Mc 12, a parábola da vinha, mais uma vez quero apenas apresentar a relação familiar entre pai e filho, e não explicar a parábola veja que o termo “filho amado”, denota carinho, relacionamento familiar, o pai não esconde de seu filho o que tem, no caso a vinha, e vê nele a autoridade familiar, pois manda ele como seu representante.

Antes de chegar aos apóstolos, gostaria de fazer um apêndice em Noé, afinal, creio que ele não apenas é um grande exemplo, como uma bonita figura da igreja-família (Gn 6:8 a 10), repare que o texto sagrado cita os três filhos dele, sendo assim, esta aqui incluída toda a família, e veja que mais adiante neste capitulo no versículo 18, Deus dá testemunho dessa família.

Noé ouviu de Deus que deveria construir uma arca, pois Deus iria destruir toda a carne e para isso enviaria o dilúvio, veja que Noé além de ouvir atentamente as palavras de Deus, faz exatamente como Ele manda, e perceba que toda a sua família estava nisso (Gn 7:1), afinal foram 120 anos de construção e constante testemunho do que Deus iria fazer, não é isso lindo meus queridos, uma figura maravilhosa da igreja que anda em silencio e testemunhando dia a dia a volta do Senhor, e é assim que Deus quer,  famílias unidas no propósito de ser igreja verdadeira e quero que você pense nisso.

Lembra que no Livro de Atos capitulo 16, versículo 30, temos o carcereiro em desespero e sua pergunta fatal: “que é necessário que eu faça para que seja salvo”, e qual a resposta mais maravilhosa que alguém pode ouvir, não só a si, mas dirigida a toda a sua família, no versículo 31 lemos: “crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo, tu e tua casa” e o que acontece depois, 32 a 34, ocorreu salvação e nasceu uma igreja-família, todos podiam adorar a Deus juntos, e falar das maravilhas ocorridas.

Neste mesmo capitulo temos nos versículos 13 a 15, uma mulher chamada Lídia, e mais uma vez vemos a família envolvida, que coisa maravilhosa meu irmão, minha irmã, espero que você esteja compreendendo a necessidade de vivermos como família, nos amarmos como pais e filhos, irmãos e irmãos, tios, avós, enfim, uma família de muitos filhos semelhantes a Jesus, e isso é a vontade de Deus o Pai.

E para não esquecer gostaria de expor esse texto que está em Malaquias 4: 6 “E Ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais..”  Veja como é lindo meu irmão, minha irmã, mais uma vez uma relação familiar, assim sendo não canso de ver a família igreja e a igreja família na bíblia.

Agora quero ainda falar um pouco do apostolo Pedro, pois o mesmo em seu discurso de Atos 2, usa termos relacionados à família, ainda que seja uma profecia que encontramos no livro de Joel 2: 28,29 encontramos uma relação familiar, veja com atenção, “vossos filhos e vossas filhas”, compreenda a relação familiar, pai, filhos e filhas e ele vai mais longe, “velhos” e “jovens”, que ambiente lindo, não fica ninguém de fora, é responsabilidade dos filhos cuidarem dos “pais” mais velhos, e esses velhos estão aqui relacionados, ainda temos a extensão da casa, através das palavras “servos” e “servas”, pois vemos no velho testamento através de Abraão, que tudo que esta com ele são considerado sua família, estando debaixo de sua responsabilidade . É isso meu caro, minha cara, quero que você perceba essa relação família que encontramos em toda a escritura, manifestada na vida da igreja, “amando uns aos outros”, “cuidando uns dos outros”, “edificando entre vós”.

Agora vamos a Paulo, e encontraremo-lo usando termos familiares que todos usaram e alguns ainda a mais, “avós” e “mãe” (II Tm 1:5), ”dores de parto” (Gl 4:19), “sobrinho” (Cl 4:10) e ainda um termo que quero ressaltar, “casa” sendo expressão de família (Fp 4:22).

Começando por Fp 4, vamos ver que as saudações foram dirigidas a pessoas e também a casa, mas que casa, uma construção, um prédio, um apartamento, um salão, não queridos essa expressão aqui é família, filhos, irmãos, tios, avôs, primos, sogra, enfim tudo relacionado à família, não perca isso nunca de vista, a igreja é o corpo de Cristo, mas localmente ela sempre se manifestará como uma família, não pode haver discórdia, intriga, ódio, tem que ser uma relação de amor, proteção, veja que papel lindo aqui, o de guardar uns aos outros, meu caro, se você foi chamado a ancião, não é para oprimir é para manifestar amor, lembre se de Tito, nesta carta vemos a relação de irmãs mais velhas com mais novas, nos mostrando uma relação de amor entre mães e filhas.

Olhando para II Tm 1, vemos a importância da família na educação cristã verdadeira, o crescimento da fé não fingida, o quanto uma mãe e uma avó, não fazem de bem a um filho e neto, meus queridos e queridas, não se deixe enganar, igreja que não se manifesta como família não pode ser igreja é um aglomerado de pessoas, você jamais vai crescer espiritualmente sem o verdadeiro apoio, sem a verdadeira manifestação do amor. Atentemos a esse ambiente, pois ele faz muita diferença, um neto que cresce ouvindo sua avó, sua mãe, enfim seus familiares com participação ativa no meio dos irmãos e sendo ensinado diariamente, com certeza será portador de uma vida cristã genuína e essa vida familiar  será levada com ele para sempre.

Vamos entrar em Gl 4, temos aqui uma exortação severa de Paulo a esses irmãos, mas perceba que o termo que ele usa, esta relacionado a uma mãe, que gerou um filho, que exemplo lindo da parte de Paulo para lhes mostrar que sua relação com eles era familiar, tão familiar que ele pode usar o termo "dores de parto", termo esse que só conhece quem realmente gerou seu próprio filho, sendo assim ele se via no direito de lhes chamar a atenção, mostrar seus erros, apontar o caminho a seguir, pois essa relação é verdadeira dentro de uma família, e sendo assim, Paulo o faz, pois os considerava seus filhos, e você? pode dizer que vive esse contexto, as pessoas podem ser tratadas como filhos, irmãos, pais, mães, avós, primos, enfim uma família?

Agora quero ir ao texto de Colossenses onde encontramos a palavra sobrinho, que em nossa sociedade entendemos como filho de um irmão ou irmã na carne, mas muitas vezes aplicamos aos filhos de irmãos do nosso convivio espiritual, veja que aderimos a um conceito familiar em nossa sociedade e em nossa cultura e assim deve ser em nossos relacionamentos como cristão, muitas vezes tememos a liberdade de exortarmos um ao outro, pois ficamos cheios de achismo e deixamos de edificar e corrigir o que devemos edificar e corrigir.

Sobrinho é um conceito familiar novamente, nos dando a entender que temos liberdade de convida-lo a vir até nós, temos o mesmo sangue correndo(no caso de um sobrinho, filho de irmão ou irmã, e não apenas no conceito) e assim também temos a mesma ligação familiar espiritual.

Meu amado, quero que você compreenda a importância de sermos de verdade uma família, de nos amarmos, nos cuidarmos, nos protegermos, nos dedicarmos uns aos outros e assim podermos cantar:

"uma família, que vive o compromisso do grande amor de Cristo, eu preciso de ti querido irmão.

Continua.

 

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald