Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (71 votos)




ONLINE
2





Partilhe este Site...







Total de visitas: 678437
Igreja, Uma Pequena Explicação.
Igreja, Uma Pequena Explicação.

A Verdadeira Igreja, uma pequena explicação.

 

O que significa a palavra "igreja"?

A palavra grega significa uma "assembleia" (At 7: 38; 19: 32, 39, 41).

Deus tem mais que uma igreja?

Não. Ela é chamada "Igreja de Deus, que Ele adquiriu para Si pelo sangue do Seu próprio Filho." (At 20: 28 - Versão Bíblia de Jerusalém).


Que tipo de pessoas fazem parte da Igreja?

Só um tipo - pecadores, sejam, eles judeus ou gentios, que, diante de Deus, se arrependeram de suas obras más e, pela graça, creram no Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, tendo sido selados pelo Espírito Santo (At 20: 21; II Co 1: 22; Ef 1: 13).

Irá algum deles se perder?

Impossível! Deus "nos elegeu nEle (em Cristo) antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dEle em amor"; "Não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual estais selados para o dia da redenção" (Ef 1: 4; 4: 30).

O que formam, em cada localidade, os membros desta única Igreja?

Juntos, eles formam localmente parte daquela única Igreja. Por exemplo: "...à igreja de Deus que está em Corinto..." (I Co 1: 2).

Quando a igreja foi mencionada pela primeira vez?

O Senhor disse: "sobre esta pedra edificarei a Minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mt 16: 18).

Quando ela foi realmente formada?

No dia de Pentecostes (50 dias depois de haver o Senhor Jesus ressuscitado de entre os mortos), quando o Espírito de Deus desceu e batizou os crentes individuais em um corpo, unindo-os, como um organismo vivo, a Cristo, sua cabeça exaltada nos céus (At 2).

A quem foi primeiro revelado o segredo de que a Igreja estava, como algo vivo, conectada a Cristo?

A Saulo de Tarso: "Saulo, Saulo, por que ME persegues?" (At 9: 4). Saulo, ao perseguir os cristãos, estava, na verdade, perseguindo a Cristo, a cabeça. A doutrina lhe foi revelada mais tarde.

Qual é o relacionamento dos cristãos com Cristo?

Até Deus haver chamado o apóstolo Paulo, nunca tinha sido revelada, aos filhos dos homens, a verdade que pecadores, tanto judeus como gentios, que creem no Senhor Jesus Cristo, são agora feitos membros vivos daquilo que é chamado "Seu corpo", do qual Ele é a Cabeça (Ef 3: 1-6). Trata-se de uma união viva (I Co 6: 17). Juntos, esses escolhidos formam a Igreja que Cristo amou e pela qual entregou-Se a Si mesmo. Como objeto de Sua afeição, ela é chamada de Sua noiva. Nós, que cremos, somos Seu corpo e Sua noiva.

O que Cristo fez pela Igreja?

Ele amou-a "e a Si mesmo Se entregou por ela" (Ef 5: 25).

O que Ele está fazendo agora por ela?

Alimentando-a e cuidando dela; está nos santificando e limpando de uma maneira prática, neste mundo, pela aplicação, em nossas almas, da Palavra de Deus (Ef 5: 26, 29).

O que Ele logo irá fazer por ela?

Apresentá-la "a Si mesmo Igreja gloriosa, sem mácula, nem ruga, nem coisa semelhante, mas santa e irrepreensível", a tão esperada noiva que Ele ama (Ef 5: 27).

Qual é o destino da Igreja?

Ser eternamente amada por Ele, e, na companhia do Senhor Jesus, ser o instrumento para demonstrar a glória do próprio Deus! (Ap 21: 1-2, 9-11).

 

Quer se aprofundar no assunto:

Clique aqui, A Igreja aos Olhos do Pai.

 

 

J. H. Smith

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald