Visite Nossa Página no Youtube


Rating: 2.8/5 (71 votos)




ONLINE
1





Partilhe este Site...







Total de visitas: 678449
Qual Sua Bandeira?
Qual Sua Bandeira?

A Bandeira do Cristão -

 

O que é a bandeira do cristão?

É uma doutrina? Não.

É um sistema teológico? Não.

É uma organização eclesiástica? Não.

É um sistema de ordenações, ritos ou cerimônias? Nada disso.

Os guerreiros de Deus não lutam sob tais bandeiras.

Qual é a bandeira da haste militante de Deus?

Escutemos e recordemos: É CRISTO!"

 

 A autoridade de Cristo sobre todos

 

"Jesus falou assim e, levantando Seus olhos ao céu, disse: Pai, é chegada a hora; glorifica a Teu Filho, para que também o Teu Filho Te glorifique a Ti; assim coma Lhe deste poder sobre toda a carne, para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste" (Jo 17:1-2).

Poder, ou autoridade, sobre toda a carne! Estas são as palavras que ouvimos. É o Senhor Quem fala. Ele aqui está a ponto de deixar este mundo, e em Suas mãos o Pai colocou autoridade sobre toda a humanidade. Desde o mais pequenino bebê, até o maior de todos os reis, todos os homens estão sujeitos ao Seu poder. Consideremos bem estas palavras: Deus Pai entregou ao Seu Filho Jesus a raça humana. Deixe que a infidelidade reclame como quiser, ou que se manifestem os argumentos vãos, o imutável fato que aqui permanece é que todo ser humano se encontra sob a autoridade absoluta do Filho de Deus.

 

Você se encontra à disposição dEle

 

O Senhor está falando de poder, não de salvação. E quando pensamos nEle sendo reputado em nada por pecadores, desprezado e cuspido e chegando a ser pregado ao madeiro maldito, acaba havendo, neste conhecimento em particular de que Ele detém a autoridade sobre todos os homens, algo que faz o coração se regozijar.

Perguntamos:

O que é que o homem costuma dizer acerca disto?

Qual é a resposta que dá a isto o imprudente e o amante dos prazeres?

Qual a opinião do orgulhoso e do que confia em si mesmo?

A cada um dizemos:

Você se encontra integralmente, pelo tempo e pela eternidade, sob a autoridade do Homem Cristo.

Você se encontra à disposição dEle; seu presente e seu futuro se encontram com Ele.

Você está confinado a Ele e não pode escapar de Sua influência. Se, enquanto viver, você desafiar a autoridade dEle, terá que se sujeitar a ela para sempre quando exalar o último suspiro de seu corpo.

Ora, esta autoridade sobre todos não é meramente universal; ela tem um propósito especial, e é um propósito de perfeita graça. Trata-se do Senhor que pode dar vida eterna a tantos quantos o Pai Lhe dá para que vão a Ele.

Todos os que o Pai Lhe dá irão a Ele, e aquele que vai a Ele, o Senhor Jesus de maneira nenhuma lança fora. O poder é absoluto, e a graça perfeita.

 

Dou-lhes a vida eterna

 

Temos que tratar com o Senhor em Seu poder, se não nesta vida, certamente na eternidade. Mas se vamos a Ele, reconhecendo nosso estado natural de morte espiritual, Ele é o dador da vida e irá nos dar vida. A vida se torna nossa como um presente. "Dou-lhes a vida eterna" (Jo 10:28). Ela nos é dada pelo Filho de Deus. "Aquele que crê no Filho tem a vida eterna" (Jo 3:36).

Como pessoas que muito em breve se encontrarão com o Senhor, indaguemos qual a nossa relação com Ele.

Será que nós O temos como o doador da vida?

Será que cremos no Seu nome?

Ele veio a este mundo para dar vida eterna a pecadores mortos em seus pecados e em sua condição natural. Ele dá vida a todo aquele que crê nEle e no Seu Pai que O enviou.

Estamos nós ligados a Ele em vida, ou somos meramente parte da raça humana, a qual, toda ela, terá que se sujeitar à Sua autoridade?

 

 

C.H.Mackintosh

"...que te importa? Quanto a ti, segue-me" - João 21:22

O Senhor Jesus tinha acabado de dizer a Pedro que ele viveria até se tornar um idoso e então morreria a morte de um mártir. Pedro imediatamente olhou para João e perguntou em voz alta se João receberia um tratamento melhor. A resposta do Senho foi: "...que te importa? Quanto a ti, segue-me".

Lembrando da atitude de Pedro, Dag Hammarskjold escreveu: "Apesar de tudo, sua amargura, porque os outros estão desfrutando do que lhe foi negado, está sempre pronta para explodir. Na melhor das hipóteses, ela fica dormindo por uns poucos dias ensolarados. Ainda assim, mesmo neste nível indescritivelmente miserável, ela ainda é uma expressão da verdadeira amargura da morte - o fato de que aos outros é permitido continuarem vivendo".

Se levássemos a sério as palavras do Senhor, elas resolveriam muitos problemas entre o povo cristão.

É tão fácil ficarmos ressentidos quando vemos outros prosperarem mais que nós. O Senhor permite que eles tenham uma casa nova, um carro novo, um chalé perto do lago.

Outros, a quem talvez consideremos como menos devotos que nós, têm boa saúde enquanto lutamos contra duas ou três doenças crônicas.

A família ao lado tem filhos lindos que se sobressaem em esportes e no meio acadêmico. Nossos filhos são normais, do tipo mais comum.

Vemos outros crentes fazendo coisas que não temos a liberdade de fazer. Mesmo que essas coisas não sejam pecados, ficamos ressentidos com sua liberdade.

É triste dizer, mas há certa inveja profissional entre obreiros cristãos. Um dos pregadores fica ofendido porque o outro é mais popular, tem mais amigos, fica na luz do holofote. Ou outro fica irritado porque seus colegas usam métodos que ele não aprova.

As palavras do Senhor atingem todas estas atitudes indignas com força surpreendente:"...que te importa? Quanto a ti, segue-me". Como o Senhor lida com outros cristãos realmente não é da nossa conta. Nossa responsabilidade é segui-Lo em qualquer que seja o caminho que Ele escolheu para nós.

Estraído do Devocional Luz Para o Caminho - William MacDonald